Deivison Kellrs, cantor da banda Torpedo, é homenageado por parentes e fãs em velório no Recife

Deivison Kellrs, cantor da banda Torpedo, é homenageado por parentes e fãs em velório no Recife

Em 20/08/2018 às 11:04:26

Parentes e fãs do cantor Deivison Kellrs, falecido no domingo (19), se despedem do cantor durante o velório nesta segunda (20), na Câmara Municipal do Recife. O artista, que fez sucesso com a banda Torpedo, lutava contra um câncer de fígado e estava internado desde 4 de agosto, mas não resistiu à doença. 

“Ele era uma pessoa boa, um bom filho, um primo maravilhoso. É muito triste essa perda para a nossa família, mas a gente se conforma porque chegou o momento dele. Ele foi um guerreiro, lutou muito para vencer essa doença, mas infelizmente não conseguiu”, lamenta a prima do cantor, Claudineia Santana.

O luto também se estende aos fãs de Deivison, que prestam as últimas homenagens ao artista durante o velório.

“Sou fã desde que ele começou a cantar e tenho todos os CDs e DVDs. Depois que eu soube, não consegui dormir. Esperei amanhecer o dia para vir”, conta a babá Cleide Pereira.

A alegria do cantor vai ser a principal lembrança da dona de casa Cleide França, que também costumava acompanhar os shows de todas as bandas de que Deivison fez parte.

“Eu não perdia um show. Ele animava demais e eu gostava de ficar na frente, gritando, junto com umas amigas. Eu queria vir [ao velório] ontem mesmo, mas meu filho não deixou. Hoje acordei às 5h e vim”, conta.

O velório fica aberto ao público até as 12h. A partir desse horário, a cerimônia fica aberta somente para parentes do cantor. O enterro está previsto para as 15h, no Cemitério de Santo Amaro, no Centro do Recife.

Carreira
Deivison Kellrs no clipe de 'Como a culpa é minha', da banda Torpedo (Foto: Reprodução/YouTube) Deivison Kellrs no clipe de 'Como a culpa é minha', da banda Torpedo (Foto: Reprodução/YouTube)

Ex-garçom, com a saúde debilitada pelo câncer, causava uma mobilização de fãs e de outros astros do brega pernambucano para ajudá-lo no tratamento, após ele falar sobre a doença, no meio de 2017, e aparecer publicamente fragilizado.

Desde "Como a culpa é minha", do fim de 2011, a "Fase ruim", de 2017, os sucessos da Torpedo foram diálogos tristes sobre amor entre Deivison e a cantora do grupo (primeiro, Thayara Andreza, e depois Francyne Roper, que a substiuiu em 2016).

Com essas histórias e o som que renovou a força do brega pernambucano, eles cativaram fãs, influenciaram outros artistas atuais e conquistaram fãs por seu estado e pelo Brasil - ainda mais com a expansão do batidão romântico do Nordeste pelo resto do país.

Autor: G1-PE

Comentários