Mulher acusada de matar cantor com tiro na cabaça em Arcoverde é presa em São Paulo

Mulher acusada de matar cantor com tiro na cabaça em Arcoverde é presa em São Paulo

Em 31/07/2019 às 18:26:16

Na tarde desta terça-feira, dia 30 de julho de 2019, após investigações da Delegacia de Polícia da 156ª Circunscrição de Arcoverde, e da 19ª Delegacia Seccional de Arcoverde, em conjunto e integrados, com a Diretoria de Inteligência Geral, e a Divisão de Capturas, da Polícia Civil do Estado de São Paulo, foi presa, por força de mandado de prisão preventiva, na cidade de São Paulo, a pessoa de Márcia Cristina de Oliveira Luna, conhecida por Márcia Bek, autora do Homicídio praticado em 2003, no corredor, na cidade de Arcoverde, contra a pessoa de Gilmar Bezerra de Azevedo, conhecido como Gilmar da Banda Caras e Bocas.

O crime aconteceu no mês de maio do ano de 2003, sendo a vítima atingida por um disparo de arma de fogo, na cabeça, pelas costas, no interior de um veículo, de forma traiçoeira, e sem chance de defesa, o que gerou um clima de comoção, e uma gigantesca repercussão, inclusive, com a veiculação dos detalhes do crime, no programa Linha Direta, da Rede Globo.
 
Após o crime, a autora fugiu, e permaneceu oculta na cidade de São Paulo, escondendo-se dentro de um extenso contingente populacional e territorial, tendo sua localização revelada, em virtude do trabalho investigativo e coletivo entre as Polícias Civis de Pernambuco e São Paulo, com intensa troca de informações.

Caso foi noticiado no Linha direta da Rede Globo

Acusada de ter matado com um tiro na nuca o amante, o músico Gilmar Bezerra de Azevedo, de 35 anos. O crime aconteceu no dia 29 de maio de 2003 na cidade de Arcoverde, interior de Pernambuco. Os dois teriam se envolvido três anos antes, quando Márcia, que é cantora, fora aprovada para ser vocalista da banda Caras & Bocas, de Gilmar.

A moça era de família pobre e vinha da pequena cidade de Ibimirim, a 80km de Arcoverde. Ela tinha alguma experiência em bandas menores e ficou felicíssima ao saber que tinha sido aprovada. Como era de fora da cidade, Márcia ficou acomodada em apartamento pago por Gilmar. Ele, mesmo casado, se encantou pela nova vocalista de sua banda, que na época tinha 17 anos, e começaram um tórrido romance. O relacionamento duraria por mais três anos. Quando Gilmar resolveu romper com Márcia, a decisão não foi bem aceita pela cantora, que chegou a ameaçá-lo de morte.

Segundo a polícia, no dia do crime Márcia fora ao apartamento de Gilmar e os dois saíram em seguida de carro. Ele, como era de costume, colocou ela no banco traseiro do automóvel para manter a discrição. No dia do crime, dois vizinhos dele viram a amante chegando no seu apartamento e os dois saírem de carro em seguida.Poucos quarteirões depois, ela teria sacado um revólver e disparado contra a nuca do músico. A bala saiu pela têmpora e o corpo de Gilmar ficou mais de uma hora dentro do carro até ser encontrado pela polícia, que desconfiou do motor ligado. Quando a polícia vai verificar o que aconteceu com o carro, encontra o músico ao volante com a cabeça pendendo para frente e o sangue ensopando a camisa. Um tiro dado à traição pelas costas tirara sua vida.

Márcia teria fugido de mototáxi até a casa onde estava hospedada. À noite, a cantora seguiu para Venturosa, cidade vizinha a Arcoverde, e na manhã seguinte ensaiou com uma banda em Garanhuns. Márcia foi embora de Venturosa dizendo à amiga que a hospedava que "não dissesse que ela tinha estado lá". Gilmar deixou mulher grávida de seis meses.

Autor: Mídia em Ação

Comentários